Jornada X: Módulo 8 – Emprego Decente e Crescimento Econômico

Como promover o crescimento econômico, emprego pleno e produtivo, e trabalho decente para todos?

 

Mulheres foram as que mais sofreram com os impactos do ano de 2020, relatório mostra o impacto da desigualdade em diferentes setores, entre eles o mercado de trabalho. 

Os últimos números mostram que, 8,8% das horas de trabalho globais foram perdidas em 2020. O que equivale a 255 milhões de empregos em tempo integral, comparado ao quarto trimestre de 2019. Esse número é aproximadamente quatro vezes superior ao número perdido durante a crise financeira global de 2009.

São jornadas de trabalho reduzidas para os que estão empregados ou por níveis “sem precedentes” de perda de emprego, que atingiram 114 milhões de pessoas.

71% dessas perdas de emprego, ou 81 milhões de pessoas, vieram na forma de inatividade, e não de desemprego, o que significa que as pessoas deixaram o mercado de trabalho porque não conseguiam trabalhar.

 Os trabalhadores mais jovens também foram particularmente atingidos, seja perdendo empregos, abandonando a força de trabalho ou adiando a entrada no mercado de trabalho, tendo a perda de 8,7%, a porcentagem da população adulta foi de 3,7%. 

 A Organização Internacional do Trabalho (OIT) revela o aumento nos próximos anos do Home office, antes da pandemia, já havia 260 milhões de pessoas trabalhando em casa em todo o mundo, representando 7,9% do emprego global. Cerca de 56%, ou 147 milhões, eram mulheres. A OIT diz que esse crescimento deve continuar nos próximos anos, destacando a necessidade de abordar os problemas do setor.

A economista sênior da OIT Janine Berg disse que “apenas 10 Estados-membros da OIT ratificaram a Convenção nº 177, que promove a igualdade de tratamento entre trabalhadores no domicílio e outros assalariados, e poucos têm uma política abrangente.”

A reconstrução da economia na era pós pandemia da COVID-19 será uma longa batalha onde sofrimento, dedicação e esperança caminharão juntos em busca de soluções rápidas para um problema que afeta, não só a capacidade produtiva do país ou o poder de consumo das pessoas, mas, principalmente, a dignidade de muitos brasileiros alijados da possibilidade de produzir riquezas para alimentar suas famílias.

As recomendações da Agenda 2030 sobre Emprego Decente e Crescimento Econômico precisam ser entendidas como mandamentos a serem divulgados, obedecidos e implantados em todo o mundo.

Leia mais: Respeito


Jornada X: Módulo 8 – Emprego Decente e Crescimento Econômico
(Reprodução: ONU News)

Você sabe quais são as metas do ODS 8? 

8.1 Sustentar o crescimento econômico per capita de acordo com as circunstâncias nacionais e, em particular, um crescimento anual de pelo menos 7% do produto interno bruto [PIB] nos países menos desenvolvidos

8.2 Atingir níveis mais elevados de produtividade das economias por meio da diversificação, modernização tecnológica e inovação, inclusive por meio de um foco em setores de alto valor agregado e dos setores intensivos em mão de obra

8.3 Promover políticas orientadas para o desenvolvimento que apoiem as atividades produtivas, geração de emprego decente, empreendedorismo, criatividade e inovação, e incentivar a formalização e o crescimento das micro, pequenas e médias empresas, inclusive por meio do acesso a serviços financeiros

8.4 Melhorar progressivamente, até 2030, a eficiência dos recursos globais no consumo e na produção, e empenhar-se para dissociar o crescimento econômico da degradação ambiental, de acordo com o Plano Decenal de Programas sobre Produção e Consumo Sustentáveis, com os países desenvolvidos assumindo a liderança

8.5 Até 2030, alcançar o emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todas as mulheres e homens, inclusive para os jovens e as pessoas com deficiência, e remuneração igual para trabalho de igual valor

8.6 Até 2020, reduzir substancialmente a proporção de jovens sem emprego, educação ou formação

8.7 Tomar medidas imediatas e eficazes para erradicar o trabalho forçado, acabar com a escravidão moderna e o tráfico de pessoas, e assegurar a proibição e eliminação das piores formas de trabalho infantil, incluindo recrutamento e utilização de crianças-soldado, e até 2025 acabar com o trabalho infantil em todas as suas formas

8.8 Proteger os direitos trabalhistas e promover ambientes de trabalho seguros e protegidos para todos os trabalhadores, incluindo os trabalhadores migrantes, em particular as mulheres migrantes, e pessoas em empregos precários

8.9 Até 2030, elaborar e implementar políticas para promover o turismo sustentável, que gera empregos e promove a cultura e os produtos locais

8.10 Fortalecer a capacidade das instituições financeiras nacionais para incentivar a expansão do acesso aos serviços bancários, de seguros e financeiros para todos

8.a Aumentar o apoio da Iniciativa de Ajuda para o Comércio [Aid for Trade] para os países em desenvolvimento, particularmente os países menos desenvolvidos, inclusive por meio do Quadro Integrado Reforçado para a Assistência Técnica Relacionada com o Comércio para os países menos desenvolvidos

8.b Até 2020, desenvolver e operacionalizar uma estratégia global para o emprego dos jovens e implementar o Pacto Mundial para o Emprego da Organização Internacional do Trabalho [OIT]

(Foto destaque: Reprodução/ Livelab)